array(3) { [0]=> string(5) "23000" [1]=> int(1048) [2]=> string(30) "Column 'pagina' cannot be null" } string(5) "23000" Pastoral
Colégio Salesiano Região Oceânica
Ícone com a palavra confira, relacionada a matéria principal
Home Pastoral 2017 Matéria: Madre Mazzarello

Madre Mazzarello

A Família Salesiana celebra o nascimento da cofundadora do Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora.


Madre Mazzarello

    Warning: opendir(destaques/destaque_617/galeria_617/thumb): failed to open dir: No such file or directory in /var/www/html/niteroi/INICIO/SR/materia.php on line 334

    Warning: readdir() expects parameter 1 to be resource, boolean given in /var/www/html/niteroi/INICIO/SR/materia.php on line 335

    Warning: sort() expects parameter 1 to be array, null given in /var/www/html/niteroi/INICIO/SR/materia.php on line 338

    Warning: Invalid argument supplied for foreach() in /var/www/html/niteroi/INICIO/SR/materia.php on line 339
Confira em tamanho original

Foi em Mornese, norte da Itália, na região do Monferrato, que no dia 9 de maio de 1837, nasceu Maria Domingas Mazzarello, filha de José Mazzarello e de Maria Madalena Calcagno. Foi a primeira de dez filhos.

Desde muito cedo, Main – apelido de Maria Mazzarello – ajudou a cuidar de seus irmãos menores e dos afazeres domésticos. Começou a frequentar as aulas de catecismo e a sobressair-se.

 

Quase todos os dias, bem cedo, Maria percorria um íngreme caminho para participar da missa. No inverno, esse percurso ficava ainda mais difícil, devido ao frio e à neve.

Cartaz de divulgação 

Em 1850 fez a primeira comunhão. Aos 16 anos, já ajudava seu pai no trabalho dos vinhedos. Já se notava nela forte caráter e espírito de liderança e a capacidade de ter pessoas sempre ao seu redor.

 

Em 1860, o tifo abateu a vila de Valponasca. A família de seu tio foi uma das primeiras a contrair a doença. Maria vai ajudá-los, mesmo sabendo que poderia adoecer o que realmente aconteceu. Mazzarello vê o rumo de sua vida mudar quando contraiu tifo. Não podendo mais trabalhar no campo, decide aprender a costurar para ensinar as jovens da sua pequena cidade. Com suas amigas, monta uma sala de costura e começa a ensinar o ofício.

 

Certa vez, ao caminhar pela colina de Bargo Alto, vê diante de si um alto edifício com muitas meninas correndo, brincando num grande pátio interno e ouve nitidamente estas palavras: Tome conta destas meninas! O grupo começa, oficialmente, em 1855. Em 20 de maio de 1857, Padre Pestarino era o orientador do grupo e Ângela era a superiora natural, tratada assim por todas. Com a amiga Petronilla, Maria resolve aprender costura e abrir um salão para ensinar o ofício para as meninas pobres. E assim aconteceu. Logo, as famílias começaram a mandar-lhe as filhas e as aulas de costura tornaram-se aulas de treinamento na virtude.

 

Em 1864, Dom Bosco chegou a Mornese com seus meninos e todos queriam vê-lo e ouvi-lo. Maria foi encontrá-lo. Dom Bosco comentou sobre seu projeto: construir um colégio para seus meninos. Antes de partir dirigiu palavras especiais às Filhas de Maria Imaculada e ficou conhecendo a iniciativa de Maria e Petronilla, a oficina de costura, o orfanato e a recreação aos domingos para todas as crianças da vila.

No dia 5 de agosto de 1872, na Capela do Colégio, 11 jovens entre elas Main emitiram os votos religiosos e se consagram a Deus. Maria Mazzarello foi sempre empenhada na animação das comunidades de Irmãs e na educação de crianças, adolescentes e jovens.  Cultivou com sabedoria a união entre todas. Ocupou-se com a abertura de novas casas na Itália e além mar.

 

No dia 14 de maio de 1881, Madre Mazzarello partiu deste mundo. Sua breve vida 44 anos continua sendo uma chama de amor contagiante, que ilumina ainda hoje a sua Família Religiosa. Suas filhas, as Filhas de Maria Auxiliadora, presentes nos cinco continentes continuam atuando no espaço-educação, fiéis ao carisma da fundação, à identidade que lhes é própria e à missão que lhes cabe no coração da Igreja.

 

Madre Mazzarello morreu jovem, depois de apenas oito anos e pouco mais de nove meses de profissão como Filha de Maria Auxiliadora. Apesar disso, na sua existência descobrimos original experiência de Espírito Santo que continua viva no tempo e que, através da longa duração dos séculos, sempre se há de referir ainda a ela.

 

Dom Bosco se empolgou com o trabalho delas e propôs a fundação de um instituto feminino com o mesmo objetivo dos Salesianos. P. Pestarino, que se tornara Salesiano, foi chamado a Turim e recebeu a notícia de que o Papa havia aprovado o projeto de Dom Bosco: fundar uma congregação feminina. Como em Mornese estavam as iniciantes, determinou que o colégio em construção fosse delas. Mazzarello vê assim, a concretização de um sonho: fazer pelas meninas o que Dom Bosco vinha fazendo pelos meninos.

 

Recordemos agora as palavras do Reitor-mor padre Egídio Viganò no centenário da morte de Santa Maria Domingas Mazzarello: “A figura da Mazzarello e o espírito de Mornese são duas realidades que concernem não apenas às Filhas de Maria Auxiliadora, mas também aos Salesianos e a todos os membros da nossa Família espiritual. O seu aprofundamento proporciona riqueza salesiana a todos.

 

Tanto em Mornese como em Valdocco, encontramos aquela porção de terra santa que nos infunde saudades da terra natal, ao mesmo tempo em que nos enriquece com tantos dados preciosos de crônica histórica. Justamente nós, “com sentimento de humilde gratidão, acreditamos” que a nossa comum vocação “não nasceu apenas de projeto humano, mas por iniciativa de Deus”, ou seja, “graças a um dom do Espírito Santo e pela intervenção direta de Maria.

 

A sua vida terrena fragmentou-se como um sacramento de doação; ninguém demonstra amor maior do que aquele que se dá a si mesmo, e Madre Mazzarelo oferecera-se como vítima para o futuro do Instituto. Há mortes que, imitando aquela de Cristo na cruz, proclamam a abundância de perfeição no coração; não são simplesmente a derradeira gota duma existência; mas o seu fruto mais maduro: a sua hora!

 

Celebramos hoje a nossa comunhão com a Igreja celeste. Santa Maria Domingas Mazzarello vive hoje com São João Bosco; na glória continuam percorrendo juntos os caminhos da história e continuam presentes na Congregação dos Salesianos de Dom Bosco, em vosso Instituto das Filhas de Maria Auxiliadora e em toda a Família salesiana: vínculo vivo e glorioso entre origens, presente e futuro! É a comunhão misteriosa e real entre Igreja peregrina e Igreja celeste, pois nós “não veneramos a memória dos santos apenas a título de exemplo, porém mais ainda para que a união de toda a Igreja seja consolidada pelo exercício da fraterna caridade”.

 

Desta maneira, essa celebração passa a ser a expressão extraordinária desta maravilhosa e insondável realidade que une o Fundador e a Cofundadora de ontem aos filhos e às filhas de hoje e de amanhã, envolve-os na única e multiforme experiência de Espírito Santo que brotou do coração de Dom Bosco e que foi vivida, já na glória, pela Mazzarello junto com o próprio Dom Bosco e, numa fé operosa e corajosa, pelos filhos e pelas filhas que ainda caminham nas estradas da história e do mundo.  Sendo tudo isso verdade, significa dizer então que a contribuição feminina de Santa Maria Domingas Mazzarello e do espírito de Mornese para o carisma salesiano apenas começou no passado e deve crescer no futuro. Não pode ser reduzida a uma espécie de privilégio a contemplar no interior do Instituto, mas uma tarefa a realizar numa expansão mais corajosa.

 

Vós, caras Irmãs, fostes, pois, chamadas a viver em espírito de atualidade a vossa preciosa complementaridade espiritual e a fazê-la frutificar. Fostes chamadas a projetar a vossa salesianidade feminina mais além do vosso Instituto; não a conserveis escondida, não vivais nela imbuídas de complexos e na defensiva, mas com entusiasmo e convencidas do seu valor eclesial e histórico, fazendo sentir vivo no mundo o seu fascínio espiritual. O vosso testemunho revigorará o inteiro patrimônio espiritual de toda a Família salesiana.

 

Com Madre Mazzarello, olhai para Dom Bosco! Voltai a escutar ainda hoje os seus primeiríssimos conselhos: “Rezai, sim, mas fazei o bem, o mais que puderdes, especialmente para a juventude”. “Crescei no exercício da presença de Deus; amai o trabalho; levai a todos amabilidade e alegria; sede na Igreja auxiliadoras para a salvação!”

 

Mulher que ensinou o trabalho em gestos de amor com simplicidade falou de um projeto de fé: Fazer de sua vida uma entrega total ao Senhor e ser para as jovens sinal da bondade de Deus.

 

A água do poço sacia diversas nações o teu coração ainda pulsa em coragem, Virtude a tua presença está viva em outras gerações que vivem arriscando tudo pela juventude.

 

Dom Bosco e Madre Mazzarello em um determinado momento da vida tomaram sua decisão em favor da juventude. Diante de um cenário de pobreza da juventude eles optaram, escolheram gastar suas vidas em favor destes jovens pobres.

 

E que Dom Bosco e Madre Mazzarello obtenham que o vosso Instituto e a nossa grande Família amadureçam naquela santidade salesiana que fará de nós todos, juntos, verdadeiros “sinais e portadores” do amor de Deus pela juventude.

 

Niterói – RJ, 13 de maio de 2017.

P. Edilson Agreson, sdb.


Postado em 12 de Maio de 2017 - Categoria: Família e Escola